O Humanzé

humanzé, híbrido humano-macaco, stalin, chipanzomem
O Humanzé ou Chimpanzomem(Homo sapiens × Chimpanzé) é um hipotético híbrido, um cruzamento, de humano com chimpanzé. Por mais bizarro e incrível que pareça, sim, essa ideia já passou por cogitação algumas vezes e inclusive há quem afirme que ocorreu — bem, não no laboratório. De qualquer forma, prossiga a leitura para conhecer a história!

A engenharia genética não é algo novo. Mesmo antes da humanidade começar a documentar sua própria história, ela cruzou com sucesso o Canis Lupus(lobo cinzento) durante séculos para criar um número substancial de raças de cães. Os cães agora vêm em todas as formas e tamanhos e se tornaram muito mais domesticados do que seus antepassados selvagens.

Mas por que parar por aqui?

Mulas, Mula, Burro
Reprodução/Obekti As mulas/burros são a prole estéril do cruzamento entre cavalos e jumentos. Muitas vezes chamados de híbridos, as mulas têm as melhores partes de um cavalo e um jumento. Mais paciente do que um cavalo, mais forte do que um jumento. Uma mula excede a soma de suas partes e ultrapassa ambos em termos de comportamento inteligente. A única desvantagem com as mulas é a sua infertilidade. Os cavalos têm 64 cromossomos — dois a mais do que um jumento — o que torna os burros incapazes de procriar e manter a espécie. Somente o homem pode manter essa população. Grandes gatos selvagens também foram mestiçados para criar novos animais, como os Ligres/Tigrões. Isso só acontece no cativeiro, já que os Leões e os Tigres são geralmente separados pelos continentes.

Criando um exército de humanzé

humanzé, híbrido humano-macaco, stalin, chipanzomemPouco antes do Natal de 2005, o jornal The Scotsman revelou ao mundo uma das mais hediondas e insidiosas de todas as experiências de hibridização do século XX. O renomado cientista russo Ilya Ivanovich Ivanov foi convocado por Josef Stalin que o ordenou que começasse a trabalhar em um ambicioso projeto para criar um novo tipo de guerreiro para uso em conflitos armados. De acordo com os próprios arquivos de Moscou, Stalin insistiu no desenvolvimento de um híbrido humano-macaco que era necessário para ser invencível, resistente à edibilidade dos alimentos consumidos — o que provavelmente significaria comida venenosa ou venenos em geral e extrema tolerância à dor. O politburo(comitê central do partido comunista da antiga U.R.S.S.) passou esta ordem para a Academia de Ciências em 1926, numa época em que a União Soviética estava bem na sua cruzada para "virar o mundo de cabeça para baixo". A engenharia social foi considerada como uma mão-na-roda com a industrialização de novas cidades, nova arquitetura e uma nova sociedade.

Ivanov recebeu apoio financeiro no valor de US$ 200.000 diretamente de Stalin que o instruiu para não investigar a possibilidade de uma hibridização humano-macaco, mas criar uma. Os primeiros esforços de Ivanov em sua busca foi fecundar uma fêmea chimpanzé com esperma humano. Ele pediu, e lhe foi concedida, permissão para usar a instalação de primatas do Instituto Pasteur em Conakry, na Guiné. Três chimpanzés fêmeas foram trazidos para esta instalação e cada uma foi artificialmente inseminada. Em cada ocasião, o experimento inicial falhou. Não admitindo a derrota, Ivanov voltou para a Rússia e considerou tentar o mesmo experimento ao contrário. Em vez de inseminar chimpanzés com esperma humano, ele recrutara voluntárias dispostas a serem inseminadas com esperma de um símio. Surpreendentemente, uma participante disposta foi encontrada e preparada. No entanto, Tarzan, um orangotango escolhido para doar o esperma, faleceu antes que o experimento pudesse começar. Talvez Stalin tenha ficado impaciente com essa aparente falta de progresso ou sucesso, já que ele rapidamente removeu Ivanov do escritório pouco tempo depois.

Antes de Ivanov falecer, ele negou que estava tentando criar um super-guerreiro humano-macaco(humanzé) e que todo seu trabalho estava mais orientado a provar as teorias de Charles Darwin. Ele esperava que suas conclusões provariam de uma vez por todas que o homem descende dos primatas. Ivanov nunca acreditou na crença religiosa do criacionismo e queria provar o contrário.

Ivanov não estava sozinho tentando unir o DNA humano ao DNA de um primata. Outro trabalho nesta área supostamente resultou em Xena, uma mulher-macaco peluda que era conhecida por ter 2 metros de altura. Independentemente das opiniões gerais de Stalin e Ivanov por seus papéis dentro da esfera da criação de um exército de soldados Humanzés, o trabalho do americano Robert White pode ser considerado ainda mais grotesco. Em 1970, White conduziu experimentos com chimpanzés que fariam até mesmo o Dr. Moreau protestar. White eventualmente conseguiu transplantar a cabeça de um chimpanzé para o corpo de outro. Para transplantar crânios, era necessário cortar a espinha do pobre animal na base do pescoço, deixando o chimpanzé paralisado do pescoço para baixo. Após a cirurgia, os nervos cranianos que permaneceram intactos no cérebro eram alimentados pelo sistema circulatório no novo corpo, o que significa que o chimpanzé ainda teria a maioria dos sentidos e seria capaz de rastrear objetos visualmente com seus olhos. Embora White fosse um professor muito apreciado na Case Western Reserve University e um cirurgião de renome, muitos se referiam a White como Dr. Açougueiro. Seu trabalho com transplante de cabeças foi descrito como bárbaro.

Oliver, o estranho chipanzé

Uma década antes do Dr. White tornar-se infame, um dos vários primatas importados da África para os EUA era bem diferente dos demais. Oliver foi adquirido ainda novo (cerca de 2 anos de idade) no começo dos anos 70 pelos treinadores Frank e Janet Berger. Supostamente, o chimpanzé havia sido capturado na República Democrática do Congo (ainda chamado de Zaire naquela época).Os instrutores perceberam que este chimpanzé, chamado Oliver, tinha um rosto achatado e caminhava verticalmente com os dois joelhos trancados (isso até ele começar a sofrer de artrite) o que levou os Bergers a cogitarem que ele fosse um híbrido de humano com chipanzé. Oliver nunca se deu bem com o resto dos chipanzés importados e, quando atingiu a maturidade sexual, tinha pouco interesse em outras fêmeas chimpanzés. Oliver foi dito ter tido uma preferência maior por mulheres humanas em vez das símias. A própria Janet comentou que ele sentia atrações por ela desde que completou 16 anos. Oliver tentou montar e copular com ela. Depois de diversas tentativas, ficou claro que ele tinha que ser vendido.

humanzé, híbrido humano-macaco, stalin, chipanzomem
Oliver, Associated press. Reprodução/ShukerNature As notícias das tendências de Oliver chegaram ao Los Angeles Times que, no final da década de 1970, escreveu um artigo sobre ele. Foi postulado que Oliver era uma espécie desconhecida ou a ligação mítica perdida. Como resultado direto disso, o Japão convidou Oliver para aparecer em rede nacional e iniciou-se uma série de testes para determinar se Oliver era realmente uma hibridização viva de humanos e primatas. Quando o teste foi feito, foi constatado que Oliver possuía 48 cromossomos e assim foi classificado como um chimpanzé. Oliver eventualmente se aposentou no Primarily Primates, um santuário de animais.


Passando pra um nível mais bizarro

Papa Alexandre IIA ideia de um Humanzé não é nada novo, se um relato do século XI for acreditado. Nesta história, intitulada "De bono religiosi status et variorum animatium tropolagia", um nobre italiano com o nome de Conde Gulielmus possuía um chimpanzé (aparentemente, no relato fala-se apenas de um símio) de estimação e compartilhava com ele uma esposa ninfomaníaca delirante.
As afeições da Condessa não conheciam limites e, não muito tempo depois, o símio tornou-sem objeto de seus desejos. Como resultado desse relacionamento bizarro, o chimpanzé rapidamente começou a compartilhar uma emoção comum dos seres humanos quando tornou-se extremamente ciumento em relação ao que o Conde também sentia pela Condessa. Este ciúme se transformou em um ataque selvagem e fatal para o Conde quando o Chipanzé não aguentou ver o Conde ter relações com a Condessa.
Este relato foi feito por São Pedro Damião, bispo e doutor da Igreja Católica. O Santo explica que a história lhe foi passada pelo Papa Alexandre II e que uma criatura chamada Maimo seria o resultado do intercurso entre a condessa e o símio. Maimo seria uma criança de aparência humana com deficiência mental.

Esse registro não é o único. Em 1897, um nascimento anencefálico foi relatado em Vichy, França ("L'anencéphale de Vichy"). Foi alegado pelo autor, o Dr. Louis Bounoure, que o nascimento foi devido a um acasalamento de uma mulher humana com um chimpanzé.


Um Humanzé moderno, se tal coisa é possível, é mais provável que aja e se comporte como o Gorilla de costas prateadas apresentado no episódio de Jonathan Creek chamado 'The House of Monkeys', que é capaz de usar o banheiro sem ajuda e sem supervisão. Não o que Stalin imaginara há tantos anos atrás, mas já saberia usar o papel higiênico, não é?


Fonte(s)  historicmysteries, rationalwiki, wikipedia
Imagem de capa  Planeta dos macacos a origem, 20th Century Fox
[+] Reportar erro, acrescentar informações ou solicitar remoção.

Curta nossa fanpage no facebook



- Deixe seu comentário -

 
Est. 2013

Todas as imagens de filmes, séries e etc são marcas registradas de seus respectivos proprietários.