10 Pessoas doidas que alegaram ser Deus

|
Existe uma cambada de pessoas no mundo com um complexo Messias. Nessa lista iremos falar sobre dez loucos com delírios de grandeza — pessoas que alegaram ser Deus, o Messias prometido, a reencarnação de Jesus, um ser superior ou coisas do tipo. É claro que existem casos mais notórios do que alguns dos malucos da lista à seguir, mas como o título sugere, aqui o que importa é o nível de doideira.


10.

Michael Joseph Silecchia

Alega que é Deus e pede pra polícia cortar seu pênis fora
Claro, existem pessoas que alegaram ser Deus e coisas terríveis saíram disso, mas quando você envolve o ato de cortar o pênis, isso eleva a loucura para um novo nível!
A polícia foi convocada para o Campus Club Apartments em Gainsville, FL - EUA, depois de ter recebido um relatório de que os moradores testemunharam Michael Joseph Silecchia, de 19 anos, percorrendo os corredores do prédio. De acordo com a polícia, o suspeito afirmou que ele era "hétero" e que ele também era "Deus". Silecchia então tirou as roupas e implorou aos policiais "não corte meu pênis fora". No entanto, o último fragmento de sanidade de Silecchia desapareceu quando ele mudou de ideia e pediu à polícia para de fato amputar seu pênis. As coisas então ficaram feias quando Silecchia socou uma policial na cabeça enquanto a polícia tentava subjugá-lo. A polícia finalmente teve que usar um Taser no "Deus" potencialmente eunuco.
Para a surpresa de ninguém, Silecchia disse mais tarde à polícia que estava doidão no ácido. Michael foi detido e recebeu uma avaliação médica.



09.

Jim Jones

Messias autoproclamado é responsável pela morte de 918 seguidores
Reprodução/Acrediteounão
Muito mais nocivo do que o anterior, Jim Jones foi possivelmente a pessoa mais notoriamente louca a reivindicar ser Deus. Ele é responsável pelo maior suicídio coletivo já registrado na história, onde mais de 900 seguidores de seu culto tomaram veneno em Jonestown na Guiana, em 1978.
Jones, um paranoico viciado em drogas e apaixonado pelo poder, afirmou ser a reencarnação de Jesus, Buda e Gandhi. Em 1956 fundou a igreja "Templo dos Povos" no estado de Indiana nos Estados Unidos, mas foi na década seguinte que a sua igreja começou a atrair seguidores e também a chamar a atenção da mídia.
O pastor pregava uma utopia socialista cristã, utilizando conceitos igualitários em voga na época como igualdade de renda, vida comunitária, vestuário simples, comida gratuita e fornecimento de carvão para os mais pobres durante o inverno, combinados com a religiosidade cristã. Dessa forma, Jim Jones obteve um grande número de féis.
Os meios de comunicação passaram a se interessar pelas práticas de Jones, após alguns seguidores relatarem que foram enganados. Eles citaram histórias de castigos corporais e treinamento de suicídio em massa. Contaram que foram forçados a doar os seus salários e depois as suas próprias casas.
Em um cartório da Califórnia, cidade na qual foi transferido o Templo alguns anos após a sua fundação, constava mais de 60 propriedades doadas para a igreja. Dados da época apontavam que a seita de Jones possuía mais 10 milhões de dólares em forma de propriedades, barras de ouros e dinheiro em contas na Suíça.
Tais relatos, chamaram a atenção do governo americano e, principalmente, da mídia. O estilo de Jones era frequente chamado de messiânico e ditatorial pelos meios de comunicação.

Com medo de ter a sua igreja destruída pelo governo e procurando o esquecimento da mídia, Jim Jones fundou uma comunidade no meio da Mata Atlântica na América do Sul. Ele foi acompanhado por quase mil seguidores. A cidade fundada em 1977 ficou conhecida como Jonestown. Lá a comunidade estabeleceu bangalôs, escola e o plantio de legumes e verduras. A única forma de informação era por meio de uma rádio central.
Aproximadamente um ano após a criação de Jonestown, o deputado americano Leo Ryan viajou juntamente com jornalistas e assessores até a comunidade, pois os familiares dos seguidores estavam desconfiados do que se passava na cidade de Jones.
Haviam relatos de punições severas, imposição de regime ditatorial e presença de guardas armados para impedir fugas.
A visita inicialmente foi positiva, o deputado chegou até a declarar que as pessoas viviam felizes. Entretanto, parece que isso não passou de encenação para os visitantes. Um dos jornalistas recebeu um bilhete pedindo ajuda. Quando a comitiva estava voltando aos Estados Unidos, eles foram impedidos de sair por guardas armados. Cinco pessoas foram mortas a tiros, incluindo o deputado Ryan.
Poucas horas após o atendado, em 18 de novembro de 1979, os membros do Templo dos Povos foram conduzidos por Jim Jones à um suicídio coletivo. Crianças e adultos beberam cianureto com suco, aqueles que não tomaram foram mortos. Um total de 918 pessoas morreram naquele dia. Jim Jones morreu com um tiro que deu em sua própria cabeça.



08.

Alexandra Barnes

Mulher da Flórida põe fogo no carro com seus cães dentro
Reprodução/WBPFNews
Em 24 de abril de 2013, Alexandra Barnes, de Daytona Beach, Flórida - EUA, entrou em um posto de gasolina da BP, foi atrás do balcão e pegou um isqueiro. Quando ela correu, um funcionário correu atrás dela e rolaram pelo chão em combate. Ela acabou libertando-se e, como o carro dela já embebido em gasolina, Alexandra pegou outro isqueiro e começou a incendiar o veículo.
Uma testemunha - Larry Romero - entrou em ação quando Alexandra gritou que "seus bebês" estavam no carro. Os bebês revelaram-se sendo os cães de Alexandra. Larry tirou os cachorros do carro e agarrou Alexandra, que estava sentada bem no meio do trânsito da I-92, afirmando ser Deus.
Alexandra Barnes foi levada a um hospital local para observação e o único dano ao posto de gasolina foi uma mangueira de bomba derretida - bem, isso e provavelmente algum dano psicológico em seus cães.



07.

David Koresh

Líder de seita causa a morte de 75 pessoas em conflito com o FBI
Reprodução/Heraldsun
David Koresh, nasceu em Houston, Texas - EUA, em 17 de agosto de 1959. Seu nome de batismo era Vernon Wayne Howell, mas em 15 de maio de 1990, mudou legalmente seu nome para David Koresh.

Em 1981 ele mudou-se para Waco, Texas, onde se juntou ao Ramo Davidiano, um grupo religioso originado na década de 1950, fundado por membros desligados da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Eles se estabeleceram num rancho próximo de Waco e deram ao lugar o nome de "Monte Carmelo", inspirados no Monte Carmelo mencionado na Bíblia, em 1955.
Ao juntar-se à igreja em 1981, Vernon Howell virou amante da líder Lois Roden e depois de sua morte ganhou o controle dos Davidianos ao vencer um embate político com o filho dela. Howell mudou seu nome para David Koresh, e tornou-se o novo líder da igreja e seu Messias. À partir daí só piorou o seu lado porra louca; ele começou a interpretar o livro do Apocalipse e criou uma guarda pessoal.
Vocês conhecem aquela frase "Faça o que eu digo, não o que eu faço?". Pois bem, ela certamente se aplica à David que pregava o celibato, mas dormia com 15 mulheres – a mais nova tinha 12 anos. Além disso, consumia bebidas alcoólicas, vetadas para todos os outros seguidores.

Os Davidianos podiam ter armas, mas a Agência de Controle de Álcool, Tabaco, Armas e Explosivos dos EUA (ATF) começou a suspeitar que elas estavam sendo convertidas para fogo automático, o que era proibido por lei. Em fevereiro de 1993, agentes invadiram o local, mas quatro deles foram assassinados.
Com a morte dos agentes da ATF, o FBI cercou o complexo de Waco. O impasse durou vários dias. Sob ameaças de tiros e de suicídio coletivo, os federais mantiveram a cautela. Koresh liberou alguns fiéis em troca de exposição na mídia e começou a mostrar um comportamento instável diante dos negociadores. Ele ficou ganhando tempo confundindo os negociadores com imagens bíblicas e afirmou que estava escrevendo documentos religiosos que ele precisava completar antes de se render.

Após 51 dias de negociação, tanques de guerra abriram buracos nas paredes e injetaram gás lacrimogênio. Os fiéis abriram fogo e, após incêndios causados por lamparinas de querosene em contato com o gás, 76 pessoas morrem – 23 delas com menos de 17 anos.
O corpo de Koresh, baleado na cabeça, foi encontrado carbonizado e identificado pela arcada dentária.



06.

Charles Manson

Líder messiânico da Família Manson é responsável por assassinatos
Reprodução/Snopes
Vamos pular de um músico assassino e frustrado com um complexo do Messias para outro. Qual lista estaria completa sem Charles Manson?
Talvez o líder de culto messiânico homicida, mais infame não apenas dos anos 60, mas de todos os tempos, Charlie nasceu em 12 de novembro de 1934 como "Sem nome Maddox" fruto de uma gravidez indesejada de Kathleen Maddox, de 16 anos que havia fugido de casa e passara a abusar de álcool e a se prostituir. Nunca chegou a conhecer seu pai, herdou o sobrenome “Manson” de um homem com quem sua mãe se juntou, relacionamento que durou pouco tempo.

Manson passou a maior parte de sua juventude em vários reformatórios, prisões e afins. Manson também tinha grande devoção, e obsessão pelos  Beatles. Ele tinha um violão, e acreditava que um dia alcançaria um sucesso maior do que a banda de John Lennon, e por isso passava horas de seu tempo se dedicando a escrever novas canções — bem, o sucesso que ele alcançou não é exatamente o que ele esperava nessa época.
Aos 33 anos, quando ele foi libertado da prisão bem à tempo para o "Verão de Amor" de 1967, ele se mudou para o epicentro do Flower Power. Em 1968, ele formou uma comunidade alternativa em Spahn Ranch, perto de Los Angeles. Manson tinha ideias grandiosas e um grupo de amigos e admiradores, conhecidos como "Família Manson". Esses eram jovens, homens e mulheres de famílias ricas, que não tinham bom relacionamento com seus familiares e que por isso passaram a morar nas ruas da Califórnia.

Alguns dos admiradores de Manson o consideravam uma reencarnação de Jesus Cristo — uma analogia a ele abrir a vida dos jovens para "novos horizontes". O próprio Manson, porém negou tal comparação, apesar de afirmar "Eu sou Deus para meus amigos. Sou o diabo para os meus inimigos. Quando olho para o futuro, sou o profeta. Quando devo estabelecer a lei para a nossa terra, sou filho do homem."
De qualquer forma ele já havia encorporado o Messias, e em suas previsões, Manson dizia que futuramente aconteceria uma grande guerra racial, onde os negros venceriam, mas ficariam desnorteados, porque eram incapazes de dominar. Toda essa ideia tomara a sua cabeça. A guerra, segundo o que ele acreditava, deveria começar com crimes que deixariam os brancos realmente enfurecidos com os negros. Charles e sua "Família" escapariam escondendo-se no deserto, onde segundo ele, haveria uma entrada para uma cidade de ouro.
Após o final dessa guerra, a Família Manson retornaria e assumiria o comando da situação. Charles era o “quinto anjo”. Os outros quatro? John, Paul, George e Ringo.

O tempo passava a data "prevista" por Manson se aproximava e nada dos negros iniciarem a tal guerra. Então ele teve uma ideia genial: Sair matando e colocar a culpa nos negros.
Em 9 de agosto de 1969, um pequeno grupo de conhecidos de Charles Manson invadiu uma casa alugada por Roman Polanski em Cielo Drive, 10050, Bel Air, assassinando sua esposa Sharon Tate  que estava grávida e mais quatro amigos do casal. As vítimas foram baleadas, esfaqueadas e espancadas até a morte, e o sangue delas foi usado para escrever mensagens nas paredes como "Helter Skelter", "Death to pigs" e "Rise". Na noite seguinte, o mesmo grupo invadiu a casa de Rosemary e Leno LaBianca, matando o casal.

Em 1971 foi condenado à morte, com a pena posteriormente transformada em prisão perpétua, ca qual cumpre até o momento em que essa matéria foi redigida, na Penitenciária Estadual de Corcoran, na Califórnia.



05.

Joseph Cooper

Homem do Colorado afirma ser Deus e espanca idoso até a morte
Créditos:Westword
Agora um caso um pouco mais benigno.
Em 2013, Zachary Joseph Cooper, de 25 anos, de Denver, CO - EUA, havia sido recentemente dispensado do exército e ainda por cima sofria de transtornos mentais — o que não é raro em veteranos do oriente médio. Ele estava cuidando de sua mãe, Janet Seguras e seu vizinho, Tony Morales, de 70 anos.
Enquanto sua mãe estava fora fazendo compras, Cooper surtou e espancou Morales até a morte com um bastão de beisebol(baseball) e cortou a sua garganta. Depois de chegar em casa, Janet encontrou seu filho nu "fazendo comentários sobre estar no céu e referindo a si mesmo como Deus." Cooper também lhe disse que "matou o demônio" após o suposto incidente.
Zachary Cooper foi acusado de assassinato em primeiro grau e foi preso sem direito à fiança.



04.

Inri Cristo

Oh pai!!!
Reprodução/Inricristo.org
Se anteriormente afirmei que em uma lista do tipo não poderia faltar Charles Manson, o que falar dessa figurinha que consideramos pacas? Em uma lista recheada de figuras de alta periculosidade, vamos descontrair um pouco.

Nascido em Indaial, interior de Santa Catarina, Brasil em 22 de Março de 1948, filho de camponeses alemães católicos, Álvaro Thais a.k.a Inri Cristo — acrônimo da inscrição na cruz de Jesus Cristo, desde cedo ouvia uma voz forte e poderosa que lhe falava dentro de sua cabeça. Obediente a esta voz, abandonou o aconchego do lar aos 13 anos, passando a viver independente da família de criação. Na adolescência trabalhou como verdureiro, padeiro, entregador de alimentos, mascate, garçom, etc. Nesta época, Inri testemunhou certas falcatruas no seio do catolicismo e por este motivo rompeu qualquer vínculo com religião tornando-se ateu, ferrenhamente ateu, até a revelação de sua "identidade".

Em 1979, afirmou ter tido a revelação de sua verdadeira identidade após ter feito jejum durante alguns dias em Santiago, no Chile. Até então, era conhecido como Iuri de Nostradamus, nome que adotou como vidente e conselheiro. Na ocasião, a voz disse: "Eu sou seu pai: o deus de Abraão, Isaac e Jacó." Inclusive seu site afirma que o seu rosto é o mesmo que o do Santo Sudário.
Em 28 de fevereiro de 1982 Inri Cristo fundou a instituição "Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade" (SOUST) em  após ter praticado o "Ato Libertário" dentro da Catedral Metropolitana de Belém. A SOUST estava provisoriamente situada em Curitiba, até se instalar definitivamente em Brasília no ano de 2006.
Inri tem muitas seguidoras femininas, muitas das quais vivem no complexo da igreja e o seguem há décadas — desde as novinhas até as vovozinhas. Suas visões provocativas sobre o capitalismo, o aborto, o ateísmo, o controle de natalidade e até mesmo o Natal —sem contar o fato de ser uma figura caricata— causaram tanta controvérsia quanto ao fato de ele ter sido expulso de vários países, incluindo os EUA e a Grã-Bretanha.
Quando questionado sobre soube que era a reencarnação de Jesus ele respondeu:
"Ah, Um dia eu estava conversando com Jesus, e de repente eu percebi que estava conversando comigo mesmo!"



03.

Marshall Applewhite

Líder de culto convence seguidores a cometerem suicídio
Reprodução/Blackdropsrus
Voltando aos elementos de alta periculosidade na tabela periódica da psicopatologia, vamos falar sobre Marshall Applewhite, fundador da seita Heaven's Gate.

Em 1972, Marshall Applewhite conheceu Bonnie Nettles, uma enfermeira com interesse em teosofia e profecias, assim ambos se tornaram amigos íntimos. Logo após, ele afirmou ter sentido que eles já se conheciam por um longo tempo e concluiu que eles haviam se conhecido em uma vida anterior. Ela disse a ele que o encontro dos dois já fora previsto por alienígenas (!!!), assim o persuadindo a acreditar que ele havia recebido uma tarefa divina.
Juntos, estudaram a vida de São Francisco de Assis, o Novo Testamento, a obra de madame Blavatsky, além de Applewhite ser bitolado em títulos de ficção científica — imaginem o salseiro que virou a cabeça deles.
Adiante, eles concluíram ser as duas testemunhas descritas no livro de Apocalipse e ocasionalmente visitaram igrejas ou outros grupos espirituais para falar de suas identidades, sempre referindo a si mesmos como "Os Dois", ou "A Dupla OVNI" — seres superiores que assumiram o controle de dois corpos humanos de meia-idade designados para ensinar a humanidade. Seus seguidores também acreditaram e desistiram de suas vidas e posses mundanas na crença de que a Terra deveria ser "reciclada" e a única maneira de sobreviver era sair imediatamente.

Applewhite acreditava que ele era um descendente direto de Jesus, o que significava que ele estava a um nível acima dos outros humanos. Como todo líder Messiânico que se preza, pregava o fim dos tempos e em março de 1997, esse tempo supostamente havia chegado. Applewhite falou com seus seguidores sobre uma nave espacial que seguia o cometa Hale-Bopp. Apesar de tudo, ele persuadiu os 38 membros de que a "única maneira de evacuar essa Terra" era realizar um suicídio em massa para que suas almas pudessem embarcar na nave espacial. Em seu discurso gravado, ele disse que, depois de suas mortes, o OVNI os levaria ao "próximo nível de existência, acima do humano".
38 membros, incluindo Applewhite, deixaram a Terra para esse "próximo nível" em uma mansão alugada no subúrbio de San Diego. Eles carregavam US $ 5,75 em seus bolsos como tarifa interplanetária — na realidade a nota de cinco dólares era para cobrir multas de ociosidade enquanto os membros estavam ausentes de seus trabalhos, enquanto as moedas seriam para fazer ligações telefônicas. Eles mantiveram isso nos bolsos no momento da morte como forma de humor negro.

Os adeptos, com idades entre 26 e 72 anos, podem ter morrido em três grupos durante três dias consecutivos, com os participantes restantes limpando tudo após a morte dos grupos anteriores. Quinze membros faleceram no dia 24 de março, mais quinze no dia 25 de março e nove no dia 26. O líder Applewhite foi o antepenúltimo membro a falecer; duas mulheres continuaram após sua morte e foram as únicas encontradas sem sacolas plásticas nas cabeças. Entre os mortos, estava Thomas Nichols, irmão da atriz Nichelle Nichols, que é conhecida pelo o seu papel de Uhura na série original para televisão de Star Trek.
Apenas um dos membros do grupo, Rio DiAngelo/Richard Ford, não cometeu suicídio. Ele filmou toda a mansão em Rancho Santa Fe; no entanto, a fita não foi mostrada a polícia até 2002, cinco anos após o evento. Bonnie Nettles não participou pois já havia falecido em 1985 de câncer.



02.

David Shayler

Messias autoproclamado, travesti e ex-agente espião do MI5
Reprodução/Septicisle
Após um item pesado, agora vamos para um Messias multitalentos para descontrair. David Shayler — um ex-membro do MI5 (Serviço de Segurança Britânico) — proclamou ser o filho de Deus dizendo: "Eu sou o messias e guardo o segredo para a vida eterna". Além de acreditar ser a reencarnação de várias figuras históricas, ele também é um travesti cujo alter ego — Delores Kane — vive em um local invadido em Surrey, condado no sudeste da Inglaterra.
Shayler inicialmente alcançou notoriedade em 1997, quando ele vazou documentos secretos para o jornal britânico, The Mail on Sunday que mostravam investigações do MI5 acerca do partido trabalhista e a paranoia com socialistas.
Acreditando que os serviços de inteligência estavam plantando intencionalmente histórias em jornais e meios de comunicação, Shayler mais tarde se juntou ao Movimento da Verdade do 11/9, um movimento que acredita que os ataques do 11 de setembro que resultaram na queda das torres gêmeas do World Trade Center em Nova Iorque, foram fraudes perpetradas pelo governo —os conspiracionistas aplaudem de pé esse sujeito.
Além de possuir uma teoria da conspiração para cada grande ato de terrorismo que ocorreu nas últimas décadas, ele também afirma ter poderes divinos, que lhe permitem influenciar o clima, prevenir ataques terroristas e prever os resultados de jogos de futebol. Ah, David também já falou bem do seu xará David Icke, conspirólogo profissional, o considerando como sendo João Batista —a cereja no bolo!



01.

Wayne Bent

Líder de seita pedófilo é preso
Reprodução/Firsttoknow
Michael Travesser, a.k.a. Wayne Bent, líder da igreja O Senhor é Nossa Justiça no Novo México - EUA, revelou-se como o Messias em 2000.
Antigo pastor da Igreja Adventista do Sétimo Dia,(Já sacamos que o local é uma fábrica de doidos varridos) Wayne deixou a denominação em 1987 e começou a se referir à igreja como uma das filhas da "grande prostituta" condenada no livro do apocalipse—isso, cospe no prato que comeu.
Ele "previu" que o mundo terminaria em 2007, mas como chegou o ano e nada, ele afirmou que Deus disse para "ficar comigo mais um ano". Um ano depois, Bent foi preso por acusações de abuso sexual de menores e também por contribuir para a delinquência juvenil. O líder da igreja já era conhecido por ter tido relações sexuais com seus seguidores no passado.
Comparando-se com Jesus Cristo, Bent disse aos meios de comunicação: "A atual provação sobre mim está caminho. Foi o mesmo com Jesus. Jesus não cometeu nenhum crime, então as autoridades tiveram que inventar alguns crimes para crucificá-lo. Não cometi crimes, mas muitos crimes estão sendo imaginados e inventados na mente dos homens para tentar me matar de novo."

Claro, Bent, sabemos que você é totalmente inocente. Só que não.



Fonte(s)  Oddee, Mundoestranho, identidadeserialkiller, mepic, acrediteounao, Wikipedia (1), (2), (3), (4)
Imagem de capa  Barcroft/Themetrouk