14 Estranhas tradições natalinas

|
Já estamos em Dezembro, o natal se aproxima, e com ele as decorações natalinas e tradições. O que vocês talvez não saibam — que na verdade, com a internet, já devem saber... — é que existem diversas tradições natalinas que diferem uma das outras ao redor do mundo. Algumas delas podem nos parecer um pouco estranhas ou até mesmo diferentes e interessantes. E é justamente sobre 14 delas que iremos comentar brevemente nesse post:


14.

Krampus

Se quando você era pequeno o único medo que sentia no Natal era o de não ganhar presentes por não ter sido bonzinho o ano inteiro, fique feliz! Na Áustria, quem não se comporta direito pode receber a visita de um demônio horripilante chamado Krampus, que aterroriza as crianças perambulando pelas ruas à noite arrastando correntes. Isso sem contar que ele anda com uma vara para esquentar o traseiro das que foram muito arteiras. Ano passado eu publiquei uma matéria sobre ele, se quiser conferir, clique aqui.



13.

Bruxas malignas

Na Noruega quem vai fazer visitinhas são grupos de bruxas malvadas, que roubam as vassouras das casas para ficar sobrevoando os vilarejos. Assim, nessa época as vassouras simplesmente somem de vista, já que durante as celebrações as mulheres escondem esses objetos para manter os espíritos malignos bem longe de seus lares.



12.

La Befana

Já na Itália, em vez de uma horda de seres que roubam vassouras, quem aparece para as festas é “La Befana”, uma bruxa querida e superaguardada pelas crianças italianas. Segundo a lenda, La Befana estava muito ocupada quando os Reis Magos foram visitar o menino Jesus, e é por isso que ela só aparece alguns dias depois do Natal trazendo os presentes.



11.

Pedro preto

Na Holanda não são bruxas ou demônios quem aterrorizam as festas de Natal, mas um personagem sinistro chamado Zwarte Piet — ou Pedro Preto em tradução livre. Apesar de ele ser um dos queridos ajudantes do Papai Noel, o Pedro também tem um lado assustador: ele é uma espécie de “homem do saco” que leva as criancinhas desobedientes embora para a Espanha, que, curiosamente, é onde o Bom Velhinho dos holandeses mora.
A história desse estranho personagem também é bem sinistra. Originalmente, Zwarte Piet era um escravo que acompanhava o Papai Noel, mas essa versão acabou sendo alterada — evidentemente — por questões relacionadas ao racismo. Hoje em dia, as crianças holandesas aprendem que a aparência de Pedro se deve à fuligem, pois, segundo a nova adaptação, ele trabalha como limpador de chaminés.





10.

Aranha natalina

Além dos enfeites de Natal que todo mundo conhece, na Ucrânia as árvores também são decoradas com teias de aranha. A origem desse costume vem de um conto sobre uma mulher muito pobre que não tinha como comprar os adornos para pendurar no pinheiro. Mas, na véspera de Natal uma mágica aconteceu, e a mulher descobriu na manhã seguinte que uma aranha havia enfeitado a árvore com uma linda teia brilhante.



09.

Esperança

Na República Tcheca existe um curioso ritual que as moças que desejam se casar fazem durante o Natal. De costas para as portas de entrada de suas casas, elas jogam um sapato por cima do ombro e, se o calçado cair com o dedão apontando para a porta, isso significa que elas se casarão no período de um ano. Caso o sapato caia virado para qualquer outro lado, as moças precisam esperar até o próximo Natal para tentar novamente.



08.

Meios de transporte

Como você sabe, aqui no Brasil as crianças acreditam que o Papai Noel visita todo mundo montado em um trenó puxado por renas, não é mesmo? Nos EUA, o Bom Velhinho usa o mesmo meio de transporte, mas na Austrália quem puxa o trenó são os cangurus! Já na Holanda, ele circula a cavalo, e na Suíça, em vez de cavalo, Noel visita as crianças montado em um burro.
No Havaí o coitadinho é obrigado a fazer exercícios, pois precisa remar em uma canoa. Mas o mais curioso mesmo é na República Tcheca, pois por lá o Papai Noel vem do céu com uma corda dourada, ao melhor estilo missão impossível. E você, leitor, conhece mais algum costume diferente para celebrar o Natal? Não deixe de contar para a gente nos comentários!



07.

O elfo Nisse

Todo mundo sabe que não é uma boa ideia mexer com espíritos brincalhões, não é mesmo? Pois na Dinamarca existe o costume de deixar um pouco de arroz doce ou mingau para um elfo arteiro chamado Nisse. Segundo a tradição, se as famílias se esquecerem de alimentar o diabozinho, a criatura virá na noite da véspera de Natal para roubar todos os presentes das crianças antes que elas acordem para encontrá-los pela manhã.



06.

Pular ondas em pleno inverno

Pense no frio que faz na Inglaterra em dezembro! Pois em Brighton, uma cidade litorânea localizada na costa sul do país, a temperatura média ronda os 5 °C nessa época do ano, e lá existe o costume de pular ondas no dia de Natal. E não pense que os corajosos habitantes que se atrevem a encarar o mar — cuja temperatura fica perto dos 10 °C — se protegem com roupas especiais. Eles vão para a água usando apenas um gorro de Papai Noel e roupas de banho.

Em Dublin, na Irlanda, existe um costume parecido! Anualmente um Papai Noel costuma mergulhar em Sandycove, e centenas de simpatizantes costumam acompanhá-lo. Mas, como estamos falando de irlandeses, é claro que existe bebida envolvida na festa. Então, o pessoal só pula na água depois de tomar um golinho de conhaque para espantar o frio.



05.

"Boas vindas" na bala

Já no vilarejo de Schönau, localizado na belíssima e gelada região dos Alpes Bávaros, na Alemanha, grupos de homens vestidos com trajes tradicionais — conhecidos como lederhosen — costumam disparar tiros de morteiro ao ar para dar as boas vindas ao Natal. Boas vindas?



04.

Monstros de feno

Também na Baviera — ou Bavária, como essa região da Alemanha é conhecida—, na cidade de Bischofswiesen os jovens vestem máscaras de demônio e usam fantasias feitas de feno para correr pelas ruas assustando a população. Esse costume remonta a época do paganismo e se repete anualmente nos dias que antecedem o Natal.



03.

Carnaval

Na véspera de Natal, em várias localidades de Cuba ocorrem carnavais pra lá de animados conhecidos como Parrandas. Essas celebrações — tradicionalmente religiosas — são embaladas com muita música, desfiles de carros alegóricos e fogos de artifício, e a mais famosa acontece na cidade de Remedios. O costume teve início há cerca de 200 anos, depois que o padre local enviou vários coroinhas às ruas batendo em panelas para chamar a população para a Missa do Galo.



02.

13 em vez de 1

Aqui no Brasil — assim como em boa parte do mundo — as crianças que foram boazinhas durante o ano esperam pela visita do Papai Noel no Natal, não é mesmo? Pois na Islândia a molecada começa a receber visitas de treze rapazes natalinos (os jólasveinarnir) 13 dias antes.
Assim, durante as duas semanas que antecedem o Natal, cada noite um jólasveinarnir deixa para as crianças que se comportaram direitinho pequenos presentes, enquanto as que foram levadas ganham batatas podres dos visitantes natalinos.



01.

Natal e... cocô

Na região da Catalunha, na Espanha, parece que existe certa fixação com fezes durante as festas natalinas... Uma das figuras que costuma aparecer nessa época do ano — mais especificamente, no dia 8 de dezembro — é o “Tío de Nadal”, um tronco de carinha simpática que fica equilibrado sobre um suporte.
As crianças são encorajadas a cuidar do Tío — cobrindo o coitadinho e inclusive dando de comer ao tronco — até a véspera de Natal, quando, então, a história se complica para o personagem e a criançada começa a golpeá-lo com um bastão para que ele defeque os presentes. Uma loucura...


Outro personagem popular na Catalunha é um homenzinho conhecido como “Caganer”, e temos certeza de que você consegue deduzir o que o nome significa.
Essa figura costuma ser incluída nos presépios, normalmente escondida em um canto ou atrás de uma moita, e tradicionalmente veste roupas típicas (e calças arriadas) dos camponeses catalães. Entretanto, não é raro encontrar caganers inspirados em figuras políticas ou celebridades. Veja:



Fonte(s) Megacurioso